Ano Novo, vida nova?

Ano Novo

“Ano novo, vida nova”. Esta foi, durante muitos anos, a minha máxima quando entrava no novo ano. Afinal, havia sempre coisas a que me propunha, que acabava por não cumprir e então achava por bem estabelecer um conjunto de resoluções na mesma para o ano seguinte, das quais depois cumpria uma ou duas, ou até nenhuma.

Todos os anos incluía nas minhas resoluções perder peso, ter uma alimentação mais saudável, fazer mais exercício físico, ser mais paciente, mudar a cor de cabelo… Juntava mil e uma coisas que queria fazer para me sentir melhor comigo mesma, no entanto nunca cumpria com os meus objetivos e acabava a sentir-me super frustrada.

Há dois anos tive um clique e finalmente consegui alterar por completo meu regime alimentar e comecei a perseguir um estilo de vida mais saudável. Ir ao ginásio ou praticar mais exercício físico estava na lista, mas não cumpri.

No ano passado continuei a investir no meu estilo de vida mais equilibrado, e mais uma vez voltei a colocar entre as minhas resoluções de ano novo que queria praticar mais exercício físico… Bem, em parte cumpri, mas fiquei bem aquém daquilo que deveria ter feito…

E por isso mesmo, para 2019 acho que a minha maior resolução vai mesmo ter de ser começar a aceitar-me mais como sou e a ser feliz.

Mas atenção (!), aceitar-me mais como sou não quer dizer que me vá desleixar e atacar já um pacote inteiro de bolachas digestivas de chocolate (sou viciada, provem e depois digam-me se não ficaram logo viciados também)! Nada disso, aceitar-me mais como sou é dar o meu melhor e, mesmo que esse melhor não me dê os resultados que eu quero, sentir-me bem comigo mesma porque dei tudo o que podia.

Claro que quero tentar praticar mais exercício, mas prefiro não ter um six pack e saber que fiz exercício o número de vezes que me senti bem e fui feliz, do que viver com uma obsessão constante, a demonizar alimentos só porque sim e a sentir-me mal porque não tenho six pack porque sou preguiçosa e não tenho muita motivação para ginásio.

Exercício é importante, não digo que não, mas para mim, para já, ainda não dá para ser um hábito de todos os dias, e não devo sentir-me mal por isso, devo sim ter a consciência de que o exercício faz bem, continuar a ter uma alimentação equilibrada e praticar exercício o número de vezes que me sinto bem hoje. Não quer dizer no futuro acabe por criar uma nova rotina.

Sabem quantas vezes tinha começado dietas na minha vida? Desde a adolescência que passava a vida a começar dietas que nunca davam em nada. Um dia, de repente, mudei o meu “mindset” e alterei por completo o meu estilo de vida.

Mas levou o seu tempo e aconteceu quando deveria ter acontecido. Nunca senti que a alimentação saudável fosse uma obrigação, ou uma prisão, e isso fez-me continuar e gostar da forma como hoje planeio a minha alimentação.

Para já, o importante é aceitar que dou o meu melhor, dentro dos possíveis, sem me desleixar. Nada deve ser encarado como uma obrigação, caso contrário não funciona e não nos faz feliz.

Por isso acho que a minha única resolução para 2019 é mesmo só essa: sentir-me bem comigo mesma e estar feliz!

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.